Você está aqui: Página Inicial / Blog / 2012 / 12 / E o Prêmio Dorneles Treméa vai para ...

E o Prêmio Dorneles Treméa vai para ...

Na PythonBrasil[7], realizada em São Paulo em 2011, a comunidade Python iniciou uma nova tradição: Reconhecer publicamente aqueles que se destacaram na comunidade brasileira através do Prêmio Dorneles Treméa, que em sua primeira edição homenageou os mestres Luciano Ramalho e Rodrigo Senra. Agora, um ano depois, Marcel Caraciolo e eu recebemos a mesma deferência. Só que apenas o Marcel conseguiu agradecer...
E o Prêmio Dorneles Treméa vai para ...

Segundos antes do Valeu!

"Valeu!"

"Valeu!"... Este foi o "longo" discurso de agradecimento que eu proferi ao ser anunciado como um dos ganhadores do Prêmio Dorneles Treméa de 2012.

Um amigo chegou a comentar que ao ouvir meu nome ele esperava -- temer seria o verbo adequado -- que eu fizesse um discurso de agradecimento a la Fidel Castro. Senão horas, dado que tínhamos restrições de tempo, ele acreditava que ao menos alguns bons minutos eu ficaria ali no palco, agradecendo e discorrendo sobre a importância do prêmio.

Não era um temor injustificado. Por mais tímido que eu seja -- e sou! ok?!?! -- o fato é que não tenho medo de palco e quase sempre tenho algo a dizer, aliás, fui treinado para isto. Para piorar, desde pequeno, eu ensaio meu discurso de agradecimento pelo Nobel de Física (sonho cada vez mais distante, admito). Ou seja, discurso de agradecimento longo era algo esperado ali.

"Valeu!". Foi tudo isto. Nada além disto.

Uma pequena digressão

Este foi um ano difícil, de esforço sobrehumano. Passei muito tempo fora de casa, muito tempo em aeroportos e aviões. 65 decolagens, 103 dias fora de casa, Plone Conference, Consegi 6 PyCon's mundo afora e uma constante sensação de "homesick".

O Prêmio foi uma consequência agradável deste esforço. Não o mais recompensador -- que foi ver a comunidade PloneGov-Br sair do limbo e ser escolhida para organizar a próxima Plone Conference -- mas foi o que mais mexeu comigo. Emocionalmente.

Lá se vão 21 meses desde o falecimento do Dorneles, mas eu ainda me emociono muito sou chorão quando falo sobre ele. Eu não tenho medo de palco, mas não consigo falar sobre o Déo sem chorar, muito. Ele é um amigo, um exemplo e alguém que não posso mais buscar para conselhos empresariais.

O "Valeu!" era tudo que eu poderia fazer sem correr o risco de ficar mudo -- e apenas chorar -- na frente de 300 pessoas.

Valeu!

Este texto tenta dizer o óbvio. Dizer o que EU não disse: É uma honra ser reconhecido por pessoas que você admira. E eu admiro meus amigos da APyB.

E chegar em casa, olhar a placa do Prêmio Dorneles Treméa, é um lembrete que todo esforço vale a pena. Mesmo.

Valeu!

registrado em: , ,
comments powered by Disqus